Seguidores

terça-feira, 31 de maio de 2011

Sobre a Terapia de Casal

Alguns acontecimentos estressantes na vida do casal geram crises: adaptação nos primeiros dois anos de casamento, nascimento de filhos, desemprego, enfermidades, interferência constante da família de origem e aposentadoria, entre outros.

Passar por essas crises, é comum à maioria dos casais. Muitos conseguem manter o diálogo aberto e, embora sofrendo com alguma intensidade por causa da crise, resolvem dentro de algum tempo o problema. Entretanto, muitos não obtém o mesmo êxito.

Aí está, então, determinada a diferença entre aqueles que precisam buscar ajuda de terceiro e aqueles que não precisam; sempre que um casal não consegue resolver seus conflitos sozinho, é sinal de que precisa de um mediador, que pode ser um pastor, conselheiro ou psicoterapeuta.

A revista Veja, de 1º de junho de 2005, trouxe um artigo muito interessante sobre esta questão. Ali alguns números estatísticos chamam atenção. Entre eles o de que a maior parte das separações, no Brasil, ocorre aos dois anos de casamento. E também de que, em média, as pessoas levam por 6 anos as brigas e discussões até irem à primeira sessão de terapia.

Ora, é preciso perguntar, quantas pessoas levam seis anos para procurar um médico especialista quando tem sintomas de alguma doença que está aparecendo em seu organismo?

Entre os dados estatísticos está, também, a triste realidade de que nem sempre a terapia funciona. E não funciona mesmo; é possível ver isto com clareza no próprio consultório psicológico. Por quê? Porque buscam ajuda quando o casamento está em estado muito grave.

Tal e qual alguém que procura tratamento para um câncer em estágio avançado – é preciso um milagre e, milagre, só Deus pode fazer.

Que diferença quando atendemos um casal em crise logo nos primeiros meses de casamento! Fica bem mais fácil tratar os desajustes, as mágoas, as diferenças individuais e divergências porque não há acúmulo de desafetos, desrespeito e o amor ainda está forte.

Que diferença, também, quando o casal está comprometido com Deus! Podemos dizer, seguramente, que a maior causa de divórcio entre casais cristãos é por causa da dureza do coração – a Bíblia já diz isto.

Corações endurecidos para ser humilde, reconhecer seus próprios erros, para pedir perdão e perdoar, para saber ceder e reconhecer o valor do outro, para aceitar o outro no seu jeitinho de ser, para dar e receber amor e afeto.

Certamente se os casais cristãos praticassem os ensinamentos bíblicos com veracidade não estaria havendo tantos divórcios no meio evangélico. Certamente se os casais praticassem o amor descrito em 1 Coríntios 13, não haveria tantos divórcios.

Certamente se o Fruto do Espírito, conforme relatado em Gálatas 5.22,23, frutificasse em cada lar cristão, não haveria tantos conflitos, brigas, separações e sofrimento. A dureza do coração que não se quebranta à ação do Espírito, à vontade de Deus e à compreensão do que significa ser uma só carne para o Senhor, nosso Deus, é a causa dos muitos divórcios entre os crentes em Jesus.

É por estas questões que nem mesmo, e nem sempre, a terapia de casal tem pleno êxito. Ela funciona muito bem para aqueles que estão verdadeiramente dispostos a avaliar o casamento e a trabalhar para extirpar os cânceres, as feridas, as dores do relacionamento. E fazer isto requer maturidade espiritual, emocional e psicológica; de submissão ao Espírito.

Elizabete Bifano
Fonte www.estudosgospel.com.br

Ler Juntos a Palavra de DEUS


Nós somos aquilo que pensamos. O livro de provérbios nos ensina: "Como imagina em sua alma assim é". A importância de lerem a Bíblia irá contribuir para o crescimento espiritual de ambos.

Nada sistemático, para que a leitura não fique danificada pela obrigação. De comum acordo, em momentos especiais, ambos devem envolver-se com a palavra de Deus de forma responsável. Com alguns minutos de leitura bíblica diária, vocês irão adquirir novas perspectivas.

Informação e inspiração farão com que vocês melhorem em muito a vida espiritual. Ficarão amadurecidos na fé e mais vigilantes quanto às falhas e erros tão comuns no relacionamento por falta de vigilância e maturidade emocional.Vão a uma biblioteca, ou um sebo... Percorram as prateleiras até encontrarem um livro que vocês dois gostem. Redescubram o prazer proporcionado pela leitura. Vocês irão descobrir preciosos tesouros, romances, histórias, suspenses, clássicos da literatura que em muito contribuirão para aprimorar o relacionamento.

"O prazer proporcionado pela leitura é dobrado quando temos alguém com quem compartilhar os mesmos livros" - Katherine Mansfield

Casados, porém solitários

'Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho: se um cair, o outro levanta o seu companheiro. Mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá quem o levante. Também se dois dormirem juntos, eles se aquentarão. Mas um só como se aquentará? Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão. O cordão de três dobras não se quebra tão depressa' (Eclesiastes 4: 9-12).

O texto que abre a nossa reflexão foi escrito por Salomão, filho do rei Davi, e que foi considerado o homem mais sábio de todos os tempos. A passagem serve-nos de exemplo, quando vemos Salomão nos falar de um relacionamento consistente entre duas pessoas, com alvos e propósitos definidos. Mas quando olho para o texto me pergunto: por que ele não é realidade na vida de muitos casais? O que estamos presenciando em nossos dias é, infelizmente, o oposto dessas palavras proferidas por Salomão.

Veja bem que o texto eclesiástico mostra ao homem a importância que tem o casamento em sua vida: “melhor é serem dois do que um”. O valor do matrimônio e a constituição de uma nova família estão expressos em todas as letras e devem ser o alvo primeiro de todo cristão. E por quê? Porque juntos resistirão aos dias maus, às gigantescas ondas que se alevantam, às tempestades horrendas e à solidão. Porém é impressionante como, mesmo depois de casados, muitos casais vivem solitários dentro de um mesmo universo e passam, individualmente, a querer lutar contra os obstáculos do dia-a-dia e a buscar os seus próprios interesses.

As casas de muitos casais se tornaram como as grandes metrópoles brasileiras: povoadas, porém, focos de grande solidão. São pessoas que vivem debaixo do mesmo teto, fazem as suas refeições juntas, dormem lado a lado na mesma cama, fazem sexo quase que diariamente, caminham de mãos dadas, entretanto, mantêm uma distância emocional, espiritual e íntima enormes. Conversam, mas não se comunicam. Moram juntas, mas ainda não constituíram o verdadeiro lar. E esse paradoxo tem refletido negativamente na vida de muitos solteiros, que dizem: “se muitos casados vivem solitários, então é melhor me sentir solitário sozinho”. Alguém já escreveu que a pior solidão é a que se manifesta entre duas pessoas.

Creio, como conselheiro familiar, que o casamento foi o antídoto criado por DEUS para combater a solidão: “Não é bom que o homem esteja só. Far-lhe-ei uma adjutora que lhe corresponda” (Gênesis 2:18). O objetivo de DEUS, como vimos, é não tornar o homem solitário. Então vamos aqui levantar alguns fatores porque isso acontece em muitos casamentos hoje em dia e, também, “receitar alguns remédios” para combater esse vírus, que tem destruído casamentos.

1) Idéia errada de casamento – muitas pessoas nutrem o desejo de se casar, crendo, infelizmente, que o casamento é uma etapa da vida isenta de tribulações e dificuldades. Quando eu era menor ouvia muito dizer que “casar é viver um mar de rosas”. Essa ideia equivocada de casamento é frustrada quando fortes obstáculos surgem na vida do casal, o qual, por não ter construído antes uma base conceitual real do matrimônio, logo deseja “pendurar as chuteiras”. Observe o versículo: “as muitas águas não poderiam apagar esse amor nem os rios afogá-lo (...)” (Cantares 8:7). “Não poderiam...”, ou seja, podem, sim, abalar o amor. A responsável por oferecer essa base aos jovens namorados e noivos é a própria igreja, o ministério de família. Mas, infelizmente, em muitas denominações o tema família está em segundo e terceiro planos, ofuscando a importância do tema para a vida espiritual do cristão. Casamento, consciente das dificuldades e do interesse de um ajudar o outro, é maravilhoso; mas não é um mar de rosas. Os noivos precisam ser bem preparados com relação ao que vão enfrentar adiante; antes de tomarem uma decisão que será única em suas vidas. Precisam saber, por exemplo, que casamento não é apenas energia sexual depositada e que só a morte pode destituí-lo. Muitos querem se casar achando que, se não der certo, poderão buscar o caminho da separação e do divórcio como alternativa, e se casarem de novo com outra pessoa. Um casamento pressupõe agora compromisso com as coisas do mundo. Por essa razão, o apóstolo Paulo escreveu: “de sorte que o que a dá em casamento faz bem, mas o que não a dá em casamento faz melhor ainda” (1 Coríntios 7:38). Costumo dizer que o casamento é a fase da vida mais bombardeada pelo diabo. Destruir as famílias é a meta primeira do inimigo de nossas almas. Quando ele quebra o alicerce familiar, toda uma estrutura vem abaixo, afetando pais, filhos, sociedade, igreja e gerações. Certa vez ao participar de um noivado, eu perguntei aos noivos: “hoje a referência espiritual que um tem do outro é a melhor possível. Mas os dois estão preparados para, por exemplo, suportarem a infidelidade conjugal durante o casamento?” Eu não quis levar uma ideia pessimista do matrimônio. Ao contrário, meu objetivo foi despertá-los para uma possível realidade.

2) O casal desconhece o papel de cada um no contexto familiar – como disse anteriormente, depois de casados, e depois da lua-de-mel, e depois dos primeiros meses, aí vem a realidade de uma maneira mais clara e decisiva sob as vistas, meio frustradas, do homem e da mulher. Cada qual procura resolver do seu jeito os problemas que vão surgindo. Algumas vezes até conseguem. Na maioria, entretanto, esses problemas vão se tornando uma “bola de neve” e se juntando a outros grandes problemas. As responsabilidades na vida do marido e da esposa se misturam. Um termina, inconscientemente, assumindo o papel do outro. E para não querer apresentar à igreja uma imagem de derrotados; de que o casamento fracassou, simplesmente se isolam em suas torres de marfim. São casados; são felizes, apenas na aparência. É uma vida de casados de hipocrisia, que, com certeza, não conseguirá ir muito longe. A Bíblia diz claramente que a esposa é a ajudadora do marido, e que este é o cabeça do lar, aquele que responde sabiamente pelas decisões finais. DEUS não casa pessoas e os entrega ao relento. DEUS é Pai zeloso: une e mostra todos os caminhos para a felicidade. Durante o casamento as duas principais ordenanças de DEUS são rompidas: a mulher em ser submissa ao seu marido; e o marido em amar a esposa como Cristo amou a sua igreja. Quebradas essas ordenanças, o casal parece não mais falar a mesma língua, vivem como adversários ou inimigos dentro de uma casa. Recordo-me de uma esposa que tudo que ia fazer em prol do casal perguntava ao marido antes se podia fazer. Ele, por outro lado, tratava-a como princesa. Essa união passou a ser referência na sociedade e se refletiu nos casamentos dos filhos. Cada qual se espelhou em seus pais, sabia bem o que deveria fazer, as responsabilidades de um e de outro, o respeito à Palavra de DEUS. O contrário dessa família também é verdade. Pais que não leem e não cumprem os conselhos de DEUS provavelmente sucumbirão ao fracasso e constituirão gerações também fracassadas.

3) A dificuldade de conviver com as necessidades do outro – cada pessoa possui necessidades emocionais, pessoais (profissionais, sexuais etc.) e espirituais. Mas DEUS planejou para que todas essas necessidades fossem supridas dentro de um contexto familiar. Quando um casal resolve se casar, dificilmente, pensa nas necessidades um do outro, ainda menos, em como supri-las, resultando numa infidelidade. Então, surge, na história do casal, uma “terceira pessoa”, que não necessariamente é um homem ou uma mulher, mas a busca incessante por um projeto pessoal, uma carreira, um sonho etc. Ambos começam a lutar pelos seus sonhos de maneira individual, egoísta, e se afastam imperceptivelmente do sentido da unidade familiar. Muitos dos casos que tenho recebido em palestras e em atendimentos se referem à área sexual. Mas também já vi até filhos se tornarem o motivo desse distanciamento. Alguns vínculos precisam ser construídos durante o casamento: vínculo do respeito, da confiança, do amor e da intimidade. Se algum desses vínculos foi quebrado, precisa urgentemente ser refeito. Não é verdade que, quando se quebra uma vez o vínculo da confiança, é impossível tê-lo outra vez. Com um pouco de esforço, interesse e determinação, é possível, sim, confiar outra vez. A humildade é o ponto de partida disso. Se você ainda tem a possibilidade de refazer os vínculos com o seu cônjuge, não perca mais tempo. Chame-o para uma conversa, seja amável, humilde, diga que está disposta ou disposto em construir uma nova história, deixando as coisas erradas do passado para trás, antes que os problemas se tornem maiores e resultem em uma separação.

Bem, levantei apenas alguns fatores. Vejamos agora alguns conselhos:
1) Nunca perca o sentido da unidade familiar. Embora seja natural que cada um tenha os seus próprios sonhos, mas estes não podem ser um fator desagregador do casal. Eles devem ser partilhados e correspondidos mutuamente;

2)O casal deve participar sempre que puder de congressos e encontros destinados à família. É uma maneira de reciclar, de inovar. A leitura de bons livros da área também ajuda bastante. Deve também passear, viajar, estar juntos em outras circunstâncias.

3)Pense que sempre há solução para os problemas. Algumas vezes as dificuldades se tornam eternas porque não sabemos como lidar com elas. Então, aqui, deixo como alternativas o diálogo, a cumplicidade, a dedicação, a paciência, a amizade e, enfim, o maior de todos, o verdadeiro Amor.

Muitas pessoas dizem que a família é a prioridade maior de suas vidas, mas quando olho para as suas agendas, vejo o quanto isso não é verdade. Há tempo e espaço para tudo, menos para o essencial. Muitos estão correndo atrás do sucesso financeiro e estão com sua família à beira do abismo. A vida familiar tornou-se uma rotina; e DEUS Aquele a quem se busca esporadicamente nos cultos aos domingos, quando se vai. É por isso que o maior companheiro não é o outro, mas a solidão. Sem DEUS o casal não pode chegar a lugar algum. Daí a razão de, no texto de abertura de nosso estudo, o autor falar em um cordão de três dobras, ou seja, a presença de JESUS na vida do casal. A terceira dobra é JESUS solidificando a relação a três. Onde JESUS está não há cordão que se arrebente nem lar que viva em solidão. Ainda que o casal tenha toda a instrução da ciência; dos homens; sem JESUS de nada adianta. Veja o que escreveu o apóstolo Paulo: “Agora permanecem estes três: a fé, a esperança e o amor, mas o maior destes é o amor” (1 Coríntios 13:13). Que DEUS nos abençoe!

Autor: Fernando César T. Alves
Fonte: www.estudosgospel.com.br

Casamento, divórcio e filhos




Quais os primeiros sintomas comuns de uma crise no casamento?

1. Ausência de diálogo, silêncio
2.
Constantes discussões
3.
Cobrança e apontar erros
4
. Desprazer da vida sexual
Dizem que a primeira crise séria do casamento vem depois do nascimento dos filhos, vc concorda?
Não. Na maioria das vezes a gravidez já é uma tentativa de chamar atenção e solucionar a crise.
Por que o nascimento dos filhos quase sempre traz uma mudança negativa para a vida do casal?
A mulher passa dar quase toda a atenção ao filho; toda mulher é preocupada por natureza. Além disso, a criança exige muito tempo e trabalho. Ainda tem os 40 dias de resguardo. Logo, o marido perde a atenção principal da mulher, não faz sexo por causa do resguardo e o cansaço da mulher e a constante preocupação da mulher com a criança, irrita o marido
.

Como se precipitar às crises conjugais?

O Titanic afundou por várias razões. No entanto, a principal foi que seu capitão não ouviu os seis sinais de alerta que dizima que as águas ao norte estavam geladas e que havia icebergs. Ele teimosamente não mudou o rumo para o sul nem diminuiu a velocidade.
A vida emite sinais de alerta o tempo todo: Ultrapassar o limite do cartão de crédito ou usar o cheque especial - sinal de endividamento; o carro que não pega pela manhã e precisa ser empurrado - sinal de que ele vai nos deixar no meio da estrada. A febre - nos diz que temos uma infecção; a dor - nos avisa que alguma coisa está errada com o corpo.
A crise no casamento é até certo ponto benéfica. Ela nos avisa que algo está errado e que o rumo precisa ser corrigido. Quem dá atenção aos sinais e corrige a trajetória, viverá feliz para sempre. O casamento acaba por causa da teimosia em fazer as coisas do mesmo jeito, não mudar o rumo. Não podemos fazer sempre a mesma coisa e esperar resultado diferente.

Em meio à crise, quais as opções práticas para tentar amenizar os problemas?

A maioria dos brasileiros não sabe conversar sem agredir. O casamento que sobrevive à crise é aquele que não briga um com o outro, mas agride o problema. A família perfeita não é aquela que não tem problemas, mas aquela que aprende a resolver os problemas. A família perfeita é imperfeita.
Nunca diga: ''Você me magoou!'' Diga, ''estou magoado'', assim dá para iniciar o diálogo e solucionar a questão.

Quem deve tomar a primeira atitude?

Melhor nunca magoar, pois o marido-esposa magoado é mais difícil de conquistar do que uma fortaleza. Geralmente quem toma a iniciativa é o mais humilde. Mas quando somente um toma a iniciativa da reconciliação, o outro vai casando e acaba por deixar pra lá. Os problemas vão se represando e acabam por virar uma barragem para que o rio do amor possa correr livremente, regando a terra do coração.

Cite alguns conselhos que todo casal deve adotar para ter uma vida conjugal saudável.

1. Nunca se endivide. Tudo o que é barato, por mais barato que seja, se você não precisa é caro.
2. Não deixe acabar o diálogo. No namoro, o casal conversa horas no portão ou pelo telefone. Não responda com monossílabos - sim! Não! To! Ta! Vou! É!
3. Não deixe acabar o romantismo. Não basta acender a fogueira tem que colocar lenha para o fogo continuar a arder.
4. Não esqueça as datas especiais.
5. Não canse de dizer; ''Eu te Amo!''
6. Tenha uma vida sexual ativa.
7. Tem que ficar claro que a esposa-marido e os filhos estão em primeiro lugar.
8. Aprenda a perdoar. Não exija a perfeição que você não tem.
9. Não trabalhe demais. Tire, pelo menos, um dia por semana. Faça ''breaks'' de três em três meses. Tire férias. O diabo não tira férias, mas vive no inferno.
10. Cultive a espiritualidade.

Quando o divorcio é inevitável, de acordo com a sua opinião?

Ninguém pode casar já pensando no divórcio. Que assim faz terá grande possibilidade de divorciar-se.
A meta do relacionamento nunca foi e nunca será a destruição ou extinção da família, mas o saneamento e a purificação das relações que existem entre os seres humanos. As oportunidades aparecem quando os obstáculos são superados; problemas são eliminados abrindo caminhos para o entendimento, a maturidade e o crescimento. O relacionamento deve evoluir e transformar-se, e não deteriorar-se. Tudo isso para você poder viver plena e abundantemente a experiência do amor. O amor atravessa barreiras, une extremos e transforma tudo pôr onde passa; guiado pôr ele, você supera dificuldades, vence limitações, ultrapassa conflitos e alcança aquilo que julgava impossível.
O divórcio só pode acontecer quando todas as possibilidades de reconciliação acabaram ou em casos extremos onde a agressão, a falta de respeito, a infidelidade, o medo, a desonestidade, o vicio, imperam.

Após o divorcio, como lidar com os filhos?

No divórcio não há vencedores, somente perdedores. Os filhos são os maiores perdedores.
1. Não fale mal um do outro para os filhos. Não procure justificar denegrindo o outro.
2. Seja sincero, enalteça as qualidades do outro para os filhos. Eles precisam tanto de você como do outro.
3. Quando estiverem juntos não briguem.
4. Não compre os filhos com presentes, o que eles precisam é de sua presença.
5. Não justifique o divórcio. Diga que você errou. Assuma as conseqüências do seu ato.


Quais os fatores fundamentais para o sucesso de um casamento?

Um relacionamento que dá certo é um edifício que tem que ser construído todos os dias. Quem age motivado pela ira, mentira, amargura, irritabilidade e infidelidade, jamais é feliz. É a paz que alicerça o amor, e não a ira. É a verdade que promove a confiança, e não a mentira. É o perdão que traz a reconciliação, e não a amargura. É a sensibilidade que permite o diálogo, e não a irritabilidade. É a fidelidade que garante que o relacionamento será capaz de durar até a morte, e não a infidelidade. Esquecer estas verdades é um convite ao desastre.

Em quais casos um terapeuta de casais pode ajudar a melhorar o relacionamento?

O terapeuta pode ajudar em todos os casos. Mesmo quando a separação é inevitável, ele pode ajudar a lidar com a mágoa, a perdoar, a continuar vivendo. Quem não aprende a lidar com a dor continuará a construir relacionamentos doentios. Não se pode construir um novo relacionamento deixando assuntos inacabados no passado. Esses assuntos serão como fantasmas assombrando constantemente o presente e inibindo a felicidade futura.
Silmar Coelho é pastor; doutor em teologia e liderança pela Universidade Oral Roberts, EUA; empresário; terapeuta; conferencista internacional; e escritor de 20 livros, entre eles: ''Jamais desista'', Editora Vida e ''Transformando lágrimas em vinho'',  Editora MK.

O Que a Biblia Diz sobre Sexo?


Existem dois assuntos que nós, como seres humanos, temos muita dificuldade de falar...São eles: sexo e morte.

O primeiro, o sexo, está ligado ao início da vida. Enquanto, o segundo, a morte, está ligado ao fim de nossa da nossa existência. Quando falamos em sexo, temos uma multidão de informações. Hoje, na internet, existem milhares de sites, dando toda sorte de informações. Alguns sites são sérios e procuram ajudar os internautas com posicionamentos científicos e corretos. Muitos, que infelizmente são a grande maioria, não precisam ser visitados, para constatar a péssima visão daquilo que Deus planejou para a sexualidade humana. Esses são, inclusive, os mais visitados pelos internautas, inclusive por alguns cristãos. O que é lamentável! Os livros que tratam a questão do sexo também são os mais vendidos.

Quando abordamos a questão da sexualidade humana, nós, como evangélicos, temos, em primeiro lugar, que recorrer à Bíblia. Sendo um evangélico de formação batista, permita-me recorrer à Declaração de Fé da Convenção Batista Brasileira quando diz:"Bíblia é a autoridade única em matéria de religião, fiel padrão pelo qual devem ser aferidas a doutrina e a conduta dos homens (Jo 12.47,48; Rm 2.12,13). Embora a mensagem da Bíblia seja a de mostrar o eterno amor de Deus, demonstrado na pessoa de Jesus, a Palavra de Deus nos dá parâmetros para que vivamos neste mundo de forma que honre o nome do Evangelho e venhamos a viver, inclusive nossa sexualidade, dentro dos planos traçados por Deus. Louis e Melissa McBurney, no artigo 'Christian sex rules' afirmam, com muita sabedoria, que a Bíblia não é um 'guia sexual' mas com certeza tem muito a nos ensinar nesta área. À luz da Palavra de Deus, podemos fazer algumas afirmações:

Deus é o criador da sexualidade humana.

Deus ao criar o homem e a mulher, os criou com todos os seus órgãos sexuais (Gn 1.31). Robinson Cavalcanti, no seu livro 'Libertação e Sexualidade' afirma:"Deus criou o ser humano com um corpo, indissociado de sua mente e de seu espírito. Para Deus, o corpo humano, obra de suas mãos, é bom. A sexualidade não veio com a Queda (pecado original). Ao contrário, a sexualidade estava nos planos originais de Deus".

Tim e Beverly LaHaye, no clássico da sexologia cristã, 'O Ato Conjugal', cita com muita propriedade as declarações do psicólogo cristão Henry Brandt, quando diz: "Deus criou todas as partes do corpo humano. E não criou algumas boas e outras más; Ele criou todas boas".

Compreendendo esta verdade, coloca-se uma pedra fundamental sobre compreensão da sexualidade humana. Todo o nosso corpo, com ele, nossos órgãos sexuais foram projetados por Deus. Esta visão é importante, porque a partir desta compreensão é que as pessoas começarão aceitar o sexo como um presente de Deus. Pênis, testículos, ovários, vagina, útero, canais deferentes, próstata, clitóris e tantos outros pequenos órgãos que compõem os aparelhos reprodutores masculinos e femininos foram criados por Deus, sem exceção. Muitos casais estão enfrentando problemas sérios na vida sexual porque não aceitam estas verdades. Têm vergonha dos órgãos genitais e acham que os mesmos não tem nada a haver com a criação divina.

As relações sexuais, segundo a visão cristã, devem ser heterossexuais, isto é, entre um homem e uma mulher.

Deus ao projetar a sexualidade humana, criou homem e mulher (Gn 2.22). À luz dos relatos da criação, já podemos observar que Deus ao criar os seres sexuados, dentre eles o homem, que é a coroa da criação, planejou para que vivessem a heterossexualidade, isto é, a relação sexual entre macho e fêmea, no caso humano, homem e mulher. Mais tarde, com a queda humana, homem e mulher começaram, como todos nós sabemos, a se distanciar dos planos de Deus, em todas as áreas da vida, incluindo em relação à sexualidade. Conforme os relatos bíblicos, os pecados sexuais começaram a aparecer nas relações humanas.

O primeiro deles, foi a poligamia (Gn 4.19). Posteriormente, Deus ao dar as leis ao seu povo, incluiu seu desagrado em relação à união sexual com pessoas do mesmo sexo, que é o homossexualismo (Lv 18.22; Rm 1.26,27) e com animais, que se dá o nome de bestialidade (Lv 18.23). Para nós cristãos, a despeito de todo o lobby gay que vemos nos meios de comunicação, tais expressões da sexualidade são pecaminosas e a Palavra de Deus se refere a essas práticas sexuais como abomináveis (Lv 18.22b).

O sexo, segundo a visão cristã, deve ser praticado no contexto do casamento.

Se no item anterior, falamos sobre a expressão correta, heterossexual, da união sexual, aqui queremos reafirmar o posicionamento bíblico em relação ao seu lugar, isto é, no contexto do casamento.

A Bíblia é clara quando afirma que a união sexual, aprovada por Deus, entre um homem e uma mulher, deve acontecer somente no contexto do casamento. Por isso, a fornicação (que geralmente se refere à relação sexual antes do casamento), mas também à imoralidade em geral, bem como o adultério e a prostituição são condenados por Deus e distorcem o Seu plano original para a felicidade sexual das pessoas (Dt 22.22; 23-25; 23.17-18; Pv 7; 1Co 6.12,13; 2Co 12.21; Ef 5.3). Tendo em vista estas verdades bíblicas, precisamos deixar bem claro para os jovens solteiros que quando têm relações sexuais ou mesmo carícias sexuais com o seus pares, enquanto namorados, contrariam a vontade de Deus (1Ts 4.3,4). Embora a cultura e os costumes modernos tentem passar para os cristãos que uma relação sexual entre solteiros ou fora do contexto do casamento não seja errada, devemos nos reportar a esses e tantos outros versículos bíblicos contrários a tais pensamentos de uma cultura sem Deus.

O sexo, segundo a visão cristã, não é somente para a procriação, mas também para o prazer.

O ser humano, dentre todos os seres vivos criados por Deus, é o único a experimentar prazer nas relações sexuais. O orgasmo, o clímax do prazer numa relação sexual, é um privilégio dado por Deus somente ao ser humano. Somente o ser humano é que experimenta todas as sensações características do orgasmo. A mulher, é a única fêmea, segundo os estudiosos, que possui o clitóris, órgão projetado por Deus exclusivamente para dar prazer sexual.

Muitos cristãos ainda pensam, apesar de toda a informação que tem recebido, que o sexo é somente para a procriação. O lado procriativo do sexo é de suma importância para a reposição da espécie (Gn 1.27,28), mas não se restringe somente a este propósito. Devido a uma forte influência platônica sobre os pensadores cristãos, especialmente, nos primeiros séculos, ainda hoje muitas vezes temos, como cristãos, a tendência de associar o prazer físico, especialmente o sexual, ao pecado. Somente nos últimos anos é que os estudiosos bíblicos têm feito uma leitura correta do livro de Cantares de Salomão. Este livro, com certeza, foi incluído no cânon, isto é, no conjunto de livros sagrados, do Velho Testamento para mostrar que, no contexto do casamento, homem e mulher devem experimentar, no seu máximo, o prazer que o sexo e a sensualidade podem proporcionar. Aqui, vale frisar, que quando usamos o termo 'sensualidade' não queremos nos referir ao 'sensualismo' apregoado pela mídia e que tanto prejuízo tem trazido à sexualidade humana. Os casais cristãos precisam repensar e explorar a sensualidade que um pode oferecer ao outro. Muitas vezes, e isto tem sido extremamente prejudicial, se associa a 'sensualidade' a algo pecaminoso. Quando um casal cristão explora a sensualidade para enriquecer a relação conjugal grandes benefícios irá colher.

Os casais cristãos precisam valorizar mais os toques físicos (abraços, afagos afetuosos, massagens sexuais e não-sexuais), o olfato (perfumes, velas perfumadas), a audição (música romântica, palavras de admiração), a visão (pessoal e do ambiente) e o paladar na relação a dois.

Quando uma relação sexual é desprovida da sensualidade, acontece apenas uma união de órgãos sexuais masculinos e femininos e reduz o sexo somente à área genital. Muitos casais estão cansados e vivendo uma vida sexual burocrática porque acham que essas coisas, até mesmo dentro do contexto matrimonial, são pecaminosas. Um bom caminho para os casais cristãos 'reinventarem' suas vidas sexuais é fazerem, a dois, uma releitura do livro de Cantares de Salomão e verificar em cada linha todos os recursos sensoriais que aqueles amantes (no bom sentido da palavra) utilizaram para terem um relacionamento sexual enriquecedor.

Quando ambos, marido e esposa, experimentarem todo o prazer que o sexo pode oferecer não precisarão querer beber de outras cisternas (Pv 5.15,18), pois a 'água' que Deus projetou para que bebessem no contexto conjugal é suficientemente o bastante para saciar o apetite sexual.
Pr Gilson Bifano
Fonte www.estudosgospel.com.br

Perdão e Casamento



Deus criou o relacionamento conjugal

- Uma relação única na experiência humana - Não há nenhum outro relacionamento tão íntimo e gratificante.
- O casamento nos obriga a viver com outra pessoa na mais íntima união conhecida pela humanidade.
- Essa intimidade pode ser intimidante.  Somos obrigados a revelar o nosso verdadeiro eu, muitas vezes com medo de sermos rejeitados.
- Uma vez que vencemos o medo da transparência, descobrimos que não existe relação mais maravilhosa e prazerosa.
- Nessa união divina, temos a oportunidade de perdoar e amar como Deus nos ama.

1. Perdoar é uma escolha!

- O perdão é maior prova de amor no casamento.
- O perdão dá oportunidade ao outro de ser hoje quem não era ontem.
- Perdoar liberta tanto o ofensor quanto o ofendido.
Você se lembra da história da prostituta arrependida que banhava os pés de Jesus com as suas lágrimas e enxugou-os com seus cabelos (Lucas 7.36-50)? Depois que ela realizou esse ato de respeito e amor, Jesus contou a história de dois homens que deviam dinheiro a um mesmo credor.  Um devia 500 denários, e o outro apenas 50. A história revela muita coisa.
- A dívida do primeiro era enorme, impagável, não havia nenhuma possibilidade dele quitar a dívida.
- O único meio de o devedor ser livre da dívida, era receber o perdão do credor. O credor, graciosamente, tinha que cancelar a dívida.
Ao contar a história, Jesus fez a seguinte pergunta: "Qual dos homens será mais agradecido ao credor?" A resposta é óbvia - aquele que foi perdoado da maior quantia. Perdão gera o amor na sua forma mais plena. Quem muito é perdoado, muito ama.

2. Devemos perdoar ainda que os erros sejam repetitivos (Mateus 18.19-21).

- Perdão generoso, ainda que ajam faltas reincidentes, gera amor profundo e duradouro.
- Perdoar “setenta vezes sete” significa perdoar sempre.
- No casamento, determinadas infrações serão repetitivas - conte com isso!
- Alguns casam com uma lista pronta das coisas que seu cônjuge tem que fazer ou não fazer. As exigências podem levar o outro à borda da insanidade.
- Cada pessoa tem seus hábitos, alguns irritantes, que mesmo depois de casados, são persistentes, não importa o que o outro diga ou faça!
- Perdoar é essencial para o crescimento, amadurecimento e mudança do relacionamento.

3. Não contabilize erros, perdoe imediatamente (Efésios 4.26,27).

Todo casal deveria ter Efésios 4.26 gravado numa placa bem visível acima da  cama: "Não deixe o sol se por, enquanto você ainda está zangado." Ou parafraseando: "Perdoe ou perca o sono!" A mensagem é clara - não durma até esclarecer tudo o que tem  prejudicado o seu relacionamento durante o dia. O fluxo de adrenalina que alimenta a raiva os manterá acordado.

Quem adia ou deixa o perdão:

- Permite que o desejo de perdoar acabe.
- Permite que o coração endureça e permaneça fechado.
- Permite que os afazeres do dia a dia impeçam a reconciliação.
- Permite que interferências negativas.
- Permite a ação do diabo.
Quem não conversa e perdoa rapidamente - especialmente antes de o dia terminar faz dívidas enormes e em longo prazo. Ou você paga suas contas ou as faz em curto prazo ou pagará um juros altíssimo pela sua teimosia.
- Não permite os avanços do outro.
- A sua relutância acaba por incomodar o seu cônjuge que também se recusa a perguntar o que está acontecendo.
- O outro simplesmente se vira e dorme.
- Você não entende como o outro não se dá conta do que fez e fica mais zangado.
- A calma e “cara de pau” do outro é irritante.
- Você luta para conseguir dormir. Sua raiva cresce cada vez que você ouve o ronco.
- No dia seguinte você acorda sentindo-se mal.  A raiva não resolvida torna-se um ponto de apoio para o grande destruidor das famílias.
- Ao deixar de lidar com as ofensas, você deixa de agir sobre um princípio divino para agir sobre um princípio satânico.

4. O perdão sara, fortalece, e amadurece a união conjugal!

- O casamento é diferente de qualquer outro relacionamento.
- Só no casamento podemos ser forjados em uma emocional e espiritual união física.
- Falta de perdão interrompe essa unidade em todos os níveis
- Falta de perdão perturba a unidade emocional.
- Pior de tudo, rompe sua unidade espiritual.
- Vocês vão parar de ler a Bíblia e orar juntos, ou praticarão as devoções como hipócritas, fingindo estar tudo bem - quando não está!
- Jesus advertiu-nos para não oferecer oferta no altar, quando houver algo entre nós (Mateus 5.23-24).
- Paulo nos instrui a examinar a nós mesmos antes de celebrar a ceia do Senhor (I Coríntios 11.27-29).
- Esse autoexame inclui os relacionamentos horizontais em especial a relação do casamento.
- Se seu casamento está em desordem, a sua capacidade de desenvolver-se espiritualmente está em perigo.
- Leia Pedro 3:1-7. O que Pedro 3.7 afirma?
- Quando o casal não se compreende e obedece a Palavra, suas orações são impedidas.
- A unidade do casamento depende de cada parceiro. Eles perdoam continuamente para restabelecer a sua relação única.
- O ato de perdoar faz o casal experimentar a graça de Deus enquanto dá um ao outro o que Deus tem graciosamente dado a cada um.
- Perdoar é a única maneira de manter a saúde e a unidade da relação.

5.  Aprendendo a se apaixonar de novo – a arte de manter um bom casamento!

- Quando você se casou sua primeira emoção falou mais alto.
- Tudo culminou com uma lua de mel maravilhosa.
- Romance, paixão, celebração e prazer.
- Você estava certo de que nada poderia ficar entre você e seu cônjuge.
- O romance manteve as suas emoções alteradas e o amor superou os desentendimentos, a raiva, e a dor.
- Ora, se a paixão e romance eram mais fortes do que as dificuldades.

Está claro o que precisamos fazer?

- Mantenha acesa a chama do amor. O desejo de amar deve ser mais forte do que qualquer desentendimento.
- Aprenda a perdoar e buscar a cura emocional.
- Cuidado para que expectativas irreais do casamento o façam vulnerável.
- Não espere o romance continue como se fosse uma febre - a paixão existe - mas ela vem e vai.
- Quem não é capaz de perdoar e renovar o amor fará com que o casamento torne-se emocionalmente falido, emocionalmente morto.
- A maioria dos casamentos pode sobreviver a uma grande dose de estresse externo, mas poucos casamentos sobrevivem à morte emocional.
- Perdão, reconciliação e luta pela unidade são essenciais para a manutenção de um relacionamento emocional saudável.

6. Confrontar-se com cuidado e carinho.

- Casamento exige uma relação de responsabilidade diante de Deus e do homem.
- O desejo de enfrentar um ao outro pode ser a nossa primeira linha de defesa, mas além de nos afastar um do outro, nos afastará de Deus.
- Quando um dos cônjuges nota que o outro está negligenciando as disciplinas espirituais deve motivar a mudança com delicadeza e doçura.
- Mas nunca use Deus e a Bíblia como uma marreta.
- A impaciência e a o “pavio curto” são sinais que a vida espiritual está ficando em segundo plano.
- Confronte com sensibilidade e sabedoria (Salmos 51.17, 34.18, Tiago 4.6-10).
- Não evite a confrontação quando alguma coisa que vai mal precisa ser abordada (Hebreus 3.9-13).
- Quem ama não permanece em silêncio quando o outro vive um padrão autodestrutivo ou prejudicial a sua família, ou a causa de Cristo.

7. A reconciliação é OBRIGATÓRIA!

- O perdão é necessário em todos os nossos relacionamentos - mas o confronto e reconciliação dependem das circunstâncias e do agir do Espírito Santo.
- O casamento é a exceção.  Deus ordenou a unidade do relacionamento conjugal. Ele exige que os maridos e as esposas não apenas perdoem uns aos outros, mas também tomem todas as medidas necessárias para assegurar a reconciliação!
- Em muitos relacionamentos, pode haver uma lacuna entre o perdão e a reconciliação.
- Pode haver intervalos naturais de separação. São lacunas do tempo que nos proporcionam a oportunidade de colocar nossas emoções sob controle e gastar tempo meditando sobre o assunto para receber o toque do Espírito Santo que nos levará em direção à reconciliação.
- No casamento há exigências diferentes!
- O casamento envolve viver juntos para sempre.
- I Coríntios  7.1-5 nos ensina a viver juntos e partilhar unidade física juntos em uma base regular para evitar a tentação, só abstendo-se de união por curtos períodos de tempo e apenas para o jejum e oração; e assim mesmo se os cônjuges estão de acordo.
- O casamento não é um relacionamento casual.
- Devemos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que haja paz entre nós (I Pedro 3.11).
- É preciso cultivar uma relação que reflita o tipo de inquebrável, união de amor que existe entre Cristo e Sua Igreja (Efésios 5.30-32).
- No casamento, a reconciliação significa estar continuamente empenhado em proximidade,  união e parceria divina.
- Haverá ocasiões quando você precisa de espaço para lidar com conflitos interiores - mas, apenas o tempo suficiente para a questão ser resolvida.
- Deus ordena que os casados se reconciliem - Faça o que for preciso para que o seu casamento se mantenha forte e saudável.
- Siga a sua verdade - não as SUAS emoções!

8. PERDÃO - Um modelo para os seus filhos.

- Seus filhos vão conviver com um mundo hostil.  Relacionar-se é dolorido.  Se eles não aprenderem a perdoar terão dificuldades irremediáveis.
- Um dos melhores presentes que você pode dar aos seus filhos é o espírito perdoador que você exemplifica e ensina.
- O casamento nos dá oportunidades diárias para incentivar e exemplificar perdão.
- Use a rivalidade entre irmãos para ajudá-los o que não significa manter um registro dos erros cometidos.
- Exija que eles peçam e recebam perdão.
- Podem fazê-lo de má vontade, mas aprenderão o que fazer em situações de conflito.

Conclusões:

- Aplicar essas verdades no meio das escaramuças das crianças é essencial, porém seu impacto é quase nada diante do seu exemplo como casal.
- Seus filhos precisam ver que vocês se amam o suficiente para perdoar sempre.
- Ao perdoar, seus filhos terão confiança e segurança para confessar erros e perdoar.
- A disposição de perdoar seu cônjuge torna-se uma ancora estável para o seu lar.
- Perdão e reconciliação são testados ao máximo entre marido e mulher.
- Confronto terá de ser abordado com o máximo cuidado.
- Não faça questão de estar certo, é a reconciliação que deve ser buscada e alcançada em sua totalidade.
- Faça o que a Bíblia diz! Confie em Deus e você vai vê-lo trabalhar.

Silmar Coelho é pastor; doutor em teologia e liderança pela Universidade Oral Roberts, EUA; empresário; terapeuta; conferencista internacional; e escritor de 20 livros, entre eles: ''Jamais desista'', Editora Vida e ''Transformando lágrimas em vinho'',  Editora MK.

Fonte www.estudosgospel.com.br

As Cinco Pedras de Davi


O gigante Golias atormentava todo o exercito de Israel, desafiava todos os dias. A visão do exercito e do rei Saul eram no gigante, eles concentraram-se no gigante e em suas forças, e chegaram a uma triste conclusão, não podemos vencê-lo. Havia um jovem ungido de Deus que não olhou o tamanho do gigante, mas olhou o tamanho do Seu Deus e diante do tamanho do seu Deus aquele gigante não era nada, ele não precisa de armas de guerra para enfrenta-lo; a logica humana dizia que o homem para enfrentar o gigante deveria ser um habilidoso guerreiro, do contrario não haveria chance, a logica de Deus dizia que para enfrentar o gigante o homem precisava depender de Deus; a logica do homem armas especiais, espada, escudo, armadura, na logica de Deus cinco pedrinhas. Há um gigante em sua vida? Ele tem desafiado você? Tem desafiado sua fé? Você acha que não pode vencê-lo? Não olhe para ele olhe para Deus, “quem é esse incircunciso filisteu para afrontar o exercito do Deus vivo”.

Cinco pedras você precisa:

1. A pedra da oração – mantenha uma vida constante de oração e você andara em espirito e terá um espirito forte em relação à carne.

2. A Pedra da comunhão – comunhão com Deus é marcada pelos momentos que vivemos em sua presença, Tenha um tempo especifico para bíblia em sua vida diária, não termine um dia sem ter meditado na palavra. Deus disse a Josué, não te aparte desse livro nele medite de dia e de noite, para fazeres tudo quanto nele está escrito, assim serás bem sucedido. Não negligencie os trabalhos de sua igreja, participe, contribua.

3. A pedra da Unção – todos querem unção de Deus, ela não vem em uma canção, em um momento de louvor se antes a vida do adorador não estiver no altar. Após a comunhão e a oração, a unção virá sobre você, como veio sobre Davi.

4. A pedra Visão – O crente precisa de visão, sem ela não se vai a lugar algum, você ver mais do os olhos humanos podem enxergar, você precisa com ver o gigante os olhos da fé. Foi com esses olhos que o adolescente Davi, viu a vitória em sua vida.

5. A pedra da fé – a razão diz eu preciso ver, a fé diz eu preciso crer. Saul diz:- tu não podes vencer o gigante! Davi diz: - quem é esse incircunciso para afrontar o exercito Do Deus. Diga, para você mesmo eu sou o exercito de Jeová, sou a menina dos seus olhos, pela fé obterei vitória.

Cinco pedras, não duas, nem três, cinco pedras e uma delas vai derrubar o gigante, encha o seu alforje com elas e vá à luta.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Você sabe o que significa familia em inglês?

 
Existem pequenas historias que nos ensinam grandes, hoje eu recebi um e-mail com essa linda história, leia até o fim e veja como precisamos aprender muito sobre relacionamento familiar.

Tropecei em um estranho que passava e lhe pedi perdão.
Ele respondeu:
“desculpe-me, por favor, também não a vi.” Fomos muito educados, seguimos nosso caminhos e nos despedimos.
Mais tarde, eu estava cozinhando e meu filho estava muito perto de mim.
Ao me virar quase esbarro nele. Imediatamente gritei com ele; ele se retirou sentido, sem que eu notasse quão dura que lhe falei. Ao me deitar Deus me disse suavemente: “Você tratou a um estranho de forma cortês, mas destratou o filho que você ama... Vá a cozinha e irá encontrar umas flores no chão, perto da porta. São as flores que ele cortou e te trouxe: rosa, amarela e azul... Estava calado para te entregar a surpresa e você não viu as lágrimas que chegaram aos seus olhos…”
Me senti miserável e comecei a chorar. Suavemente me aproximei de sua cama e lhe disse:
“Acorde querido! Acorde!
Estas são as flores que você cortou para mim?”
Ele sorriu e disse:
“Eu as encontrei junto de uma árvore, e as cortei, porque são bonitas como você,
em especial a azul.”
Filho, sinto muito pelo que disse hoje, não devia gritar com você.
Ele respondeu:
“está bem mamãe, te amo de todas as formas.”
Eu também te amo e adorei as flores, especialmente a azul….

"Entenda que se você morrer amanhã, em questão de dias a empresa onde você trabalha cobrirá seu lugar. Porém, a família que deixamos sentirá a perda pelo resto da vida."
Pense neles, porque geralmente nos entregamos mais ao trabalho que a nossa Família.
Será

O ponto negro

 


por Josué Gonçalves

Certo dia, um professor entrou na sala de aula e disse aos alunos para se prepararem para uma prova relâmpago. Todos se sentiram assustados com o teste que viria.
O professor entregou então, a folha com a prova virada para baixo, como era de costume...
Quando puderam ver, para surpresa de todos, não havia uma só pergunta ou texto, apenas um ponto negro no meio da folha.
O professor analisando a expressão surpresa de todos, disse: - Agora vocês vão escrever um texto sobre o que estão vendo.
Todos os alunos, confusos, começaram a difícil tarefa. Terminado o tempo, o professor recolheu as folhas, colocou-se na frente da turma e começou a ler as redações em voz alta.
Todas, sem exceção, definiram o ponto negro tentando dar explicações por sua presença no centro da folha.
Após ler todas, a sala em silencio, ele disse: - Esse teste não será para nota, apenas serve de aprendizado para todos nós.
Ninguém falou sobre a folha em branco. Todos centralizaram suas atenções no ponto negro. Assim acontece em nossas vidas. Temos uma folha em branco inteira para observar, aproveitar, mas sempre nos centralizamos nos pontos negros.
A vida é um presente de DEUS dado a cada um de nós, com extremo carinho e cuidado. Temos motivos pra comemorar sempre. A natureza que se renova, os amigos que se fazem presentes, o emprego que nos dá sustento, os milagres que diariamente presenciamos.
No entanto, insistimos em olhar apenas para o ponto negro. O problema de saúde que nos preocupa, a falta de dinheiro, o relacionamento difícil com um familiar, a decepção com um familiar, a decepção com um amigo. Os pontos negros são mínimos em comparação com tudo aquilo que temos diariamente, mas são eles que povoam nossa mente.
Tire os olhos dos pontos negros da sua vida. Aproveite cada benção, cada momento que Deus lhe dá. Creia que o choro pode durar até o anoitecer, mas a alegria logo vem no amanhecer. Tenha essa certeza, tranquilize-se e seja feliz!!!

O que significa ser pai!



A maioria dos homens nutrem o sonho de ser pai, mas nem todos compreendem o verdadeiro significado da paternidade, por essa razão existem muitos tipos de pais.
Ser pai..
Pais distantes,
Pais ausentes,
Pais indiferentes,
Pais displicentes.
A final de contas, o que é ser pai...
Ser pai é ser parceiro do Criador do Universo; Deus não quis criar tudo sozinho, deixou você participar;
Ser pai é ser participante da construção de um projeto de vida chamado filho;
Ser pai é ser um escultor de caráter;
Ser pai é ser um parteiro dos sonhos que nascem na alma dos filhos;
Ser pai é ser um semeador da boa semente na terra fértil do coração das crianças;
Ser pai é ser o guardião que não tem dia e nem hora, está sempre protegendo e guardando suas dádivas divinas, seja menino ou menina;
Ser pai é ser o motivador das vitórias dos filhos;
Ser pai é ser companheiro de jornada que nunca desiste da caminhada, mesmo quando surgem os obstáculos;
Ser pai é ser amigo certo das horas mais incertas da vida dos filhos;
Ser pai é estar presente quando todos se foram, só ficou ele “O pai”;
Ser pai é ser um mestre incansável do bem;
Ser pai é ser o referencial de amor, esperança, fé e confiança;
Ser pai é ser forte para lutar, firme para disciplinar, mas sensível para perdoar e amar;
Ser pai é ser um agente de cura para as feridas da alma dos filhos;
Ser pai é ser um guerreiro valente;
Ser pai é ser um educador, protetor, guia e motivador;
É ser para os filhos o que Deus sempre quis ser para cada um de nós... Um pai no sentido mais completo da palavra...
Meu pai se mudou para a sua morada eterna à 27 anos,
Mas deixou gravado na memória dos filhos sua imagem, seu caráter, sua vida integra e piedosa.
Ele foi um grande homem, porque mesmo depois de morto ainda continua ensinando através do legado que nos deixou...
Não sei se vai ser possível, mas se for, quando chegar no céu, quero encontra-lo para lhe dar um abraça e dizer: “Obrigado pelo Pai você foi para nós”.
A todos os pais, “Que o Senhor derrame sobre vocês toda sorte de bênção”.
Pr. Josué Gonçalves

sábado, 21 de maio de 2011

PORQUE O PL 122/2006 É INCONSTITUCIONAL.


Antes de fazer qualquer comentário, é importante frisar que uma coisa é criticar conduta, outra é discriminar pessoas. No Brasil, pode-se criticar o Presidente da República, o Judiciário, o Legislativo, os católicos, os evangélicos, mas, se criticamos a prática homossexual, logo somos rotulados de homofóbicos. Na verdade, o PL-122 é contra o artigo 5º da Constituição, porque o projeto de lei quer criminalizar a opinião, bem como a liberdade religiosa.

Vejamos alguns artigos deste PL:

Artigo 1º: Serão punidos na forma desta lei os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual, identidade de gêneros.
Comentário: Eles tentam se escorar na questão de raça e religião para se beneficiar. O perigo do artigo 1º é a livre orientação sexual. Esta é a primeira porta para a pedofilia. É bom ressaltar que o homossexualismo é comportamental, ninguém nasce homossexual; este é um comportamento como tantos outros do ser humano.
humano.

Artigo 4º: Praticar o empregador, ou seu preposto, atos de dispensa direta ou indireta. Pena: reclusão de 2 a 5 anos.
Comentário: Não serão os pais que vão determinar a educação dos filhos — porque se os pais descobrirem que a babá dos seus filhos é homossexual, e eles não quiserem que seus filhos sejam orientados por um homossexual, poderão ir para a cadeia.

Artigo 8º-A: Impedir ou restringir a expressão e a manifestação de afetividade em locais públicos ou privados abertos ao público, em virtude das características previstas no artigo 1º desta lei. Pena: reclusão de dois a cinco anos.
Comentário: Isto significa dizer que se um pastor, ou padre, ou diretor de escola — que por questões de princípios — não queira que no pátio da igreja, ou escola haja manifestações de afetividade, irão para a cadeia.

Artigo 8º-B: Proibir a livre expressão e manifestação de afetividade do cidadão homossexual, bissexual ou transgênero, sendo estas expressões e manifestações permitidas aos demais cidadãos ou cidadãs. Pena: reclusão de dois a cinco anos.
Comentário: O princípio do comentário é o mesmo que o do anterior, com um agravante: a preferência agora é dos homossexuais; nós, míseros heterossexuais, podemos também ter direito à livre expressão, depois que é garantida aos homossexuais. O parágrafo do artigo que vamos comentar a seguir "constituiu efeito de condenação".

Artigo 16º, parágrafo 5ª: O disposto neste artigo envolve a prática de qualquer tipo de ação violenta, constrangedora, intimidatória ou vexatória, de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica.
Comentário: Aqui está o ápice do absurdo: o que é ação constrangedora, intimidatória, de ordem moral, ética, filosófica e psicológica? Com este parágrafo a Bíblia vira um livro homofóbico, pois qualquer homossexual poderá reivindicar que se sente constrangido, intimidado pelos capítulos da Bíblia que condenam a prática homossexual. É a ditadura da minoria querendo colocar a mordaça na maioria. O Brasil é formado por 90% de cristãos. Não queremos impedir ou cercear ninguém que tenha a prática homossexual, mas não pode haver lei que impeça a liberdade de expressão e religiosa que são garantidas no Artigo 5º da Constituição brasileira. Para qualquer violência que se cometa contra o homossexual está prevista, em lei, reparação a ele; bem como assim está para os heterossexuais. A PL-122 não tem nada a ver com a defesa do homossexual, mas, sim, quer criminalizar os contrários à prática homossexual — e fazem isso escorados na questão do racismo e da religião.


Fonte: Associação Vitória em Cristo
__________

Este conteúdo está autorizado para cópias desde que haja citação de fonte de origem, a Associação Vitória em Cristo. Reproduza-o informando que é permitido copiá-lo.
OBS: PARA EFEITO DE MELHOR REPRODUÇÃO, COPIE NA PÁGINA OFICIAL UBE BLOGS (AQUI)

Filmes Porno Gospel!




Blog do Pavarine publicou a mais nova invencionice gospel. Em nome de uma pseudo-espiritualidade, surge retumbante em nosso Brasil varonil, o movimento pornô gospel, onde filmes eróticos serão produzidos para “educação” do povo de Deus. Segundo os organizadores da indústria cinematográfica “porno-cristã”, os filmes produzidos devem ser fundamentados no "maior respeito". Para tanto eles estabeleceram regras como:

•"Retratar só casais matrimonialmente ligados em atos sexuais. Isto significa que quaisquer parceiros sexuais, em uma produção pornô cristã devem ser marido e mulher, dentro e fora da tela. Todos os agentes devem ser casados na vida real e retratarem a vida real. E eles só devem ter relações sexuais com seus cônjuges."


• "Retratar o sexo dentro de contexto de um casamento cristão. Devem-se aparentar através das ações, comportamentos e fala dos personagens retratados que são cristãos e que levam um estilo de vida cristã, e tem um casamento no qual sua fé é o ponto principal. Isto pode ser ilustrado em uma variedade de formas, com cenas mostrando por exemplo, um jovem orando em conjunto e estudando a Bíblia e freqüentando a Igreja ou realizando funções na Igreja e outras cenas relativas a um outro casal cristão fazendo sexo fora do seu quarto."


• "Não deve haver sexo extraconjugal, a não ser que seja para ilustrar as quedas de adultério. Os casais, em uma produção pornô cristã nunca devem ter relações adúlteras, a menos que seja para demonstrar que eles e seus parceiros sofrem e são punidos pelos seus pecados."

Além disso, O Cristianismo pornô traz a realidade da igreja de Cristo diversas práticas sexuais tidas como sodomitas, ménage a trois (sexo a três), sadomasoquismo, fisting, nudismo só para citar alguns, como sendo um presente de Deus para nossas vidas.

Pois é, definitivamente chegamos ao fundo do poço. Recuso-me a acreditar que pessoas ditas cristãs promovam este tipo de obscenidade. Tenho plena convicção que práticas como estas se opõem veementemente a mensagem do Evangelho de Cristo Jesus. Cabe a Igreja de Cristo um posicionamento audacioso diante da promiscuidade que tomou conta do nosso país. Sem sombra de dúvidas não devemos nos curvar diante da imoralidade que tem destruído parte da sociedade brasileira.
Como já escrevi anteriormente fomos chamados pelo Senhor a vivermos de modo absolutamente diferente dos que compõem esta geração. Compromisso com a moral, decência e santidade devem fazer parte da vida daqueles que nasceram de novo, levando-nos a exalar sobre os que se encontram em estado de putrefação espiritual o bom perfume de Cristo.

Maranata!
Renato Vargens


Essa postagem foi publicada a mais de 02 anos atrás, será que alguma coisa mudou?

Que O SENHOR tenha misericórdia de nós! AMÉM!

Metanóia e reforma da igreja com o ESPIRITO SANTO!

10 motivos para dizer: “Eu te amo” para minha esposa


1). Porque se não consigo dizer isso a ela, que convive ao meu lado cotidianamente,
dando apoio, ajuda e cuidando de tudo que está relacionado a mim, inclusive aceitando
minhas fraquezas e defeitos, a quem mais direi que amo nesta terra?

2). Se sou incapaz de amar e expressar este amor, não mereço que alguém viva uma
vida inteira ao meu lado.

3). Porque dizer !eu te amo”, não me torna menos homem, ou ‘macho”, pelo contrário,
me torna um homem especial e um “macho” mais desejado.

4). Porque quando alguém elogiá-la ou tentar encantá-la, ela terá a certeza que existe
alguém, que sente algo mais forte e verdadeiro do que uma simples atração física.

5). Dizem que atitudes valem mais do que palavras, mas as palavras certas e
necessárias são as mais sábias atitudes.

6). Porque não posso passar uma vida inteira ao lado de uma pessoa sem deixar a ela
certeza de que a amei intensamente.

7). Porque estamos na era digital. A evolução acontece em uma velocidade magnífica e
tudo muda rapidamente, mas ainda não inventaram nada melhor para se dizer a uma
mulher.

8). Essas palavras são um grande investimento, porque se ela se sente amada, poderá
me amar muito mais e de uma forma cada vez mais intensa. Tudo volta para mim.

9). Não sou o príncipe que um dia ela sonhou, mas estas palavras valem mais do que
um reino ou qualquer título de nobreza.

10) Para não me arrepender um dia.

Todos direitos reservados ao Site Oleo Precioso, proibido divulgar ou publicar sem
autorização do dono do site Pr Adenir Souza

http://www.oleoprecioso.com/ilustra%C3%A7%C3%B5es/10-motivos-para-dizer-eu-te-amo-para-minha-esposa.html

Pornografia: Um mal muito maior do que imaginamos



A pornografia é aquele assunto que muitos líderes evitam por pelo menos 2 motivos:
Primeiro, porque muitos desconhecem a gravidade de sua proliferação no meio da igreja, uma vez que quem a pratica dificilmente confessa o erro, por vergonha, ou por medo que sua fraqueza se torne algo  público e vire tema de fofocas.
Segundo, muitos pastores se sentem desconfortáveis em ensinar sobre o tema com receio de transmitir a idéia de que eles próprios praticam, desta forma, muitos preferem não discorrer sobre ela em seus ensinamentos.
O certo é que a pornografia hoje é uma pauta que tem que fazer parte de nossas reuniões e principalmente de nossos cultos de ensino, por causa da rapidez com que se alastra e também pelo estrago que faz.
Com o surgimento da internet e das redes sociais ela tem se espalhado rapidamente atingindo milhares de pessoas que logo se tornam viciadas. Geralmente os primeiros contatos acontecem por pura curiosidade e acabam gerando uma necessidade incontrolável de repetição e também de variação porque a pessoa que se torna escrava de pornografia necessita de formas cada vez mais diferenciadas e mais fortes para despertar os seus desejos que vão se tornando cada dia mais exigentes. Há relatos de pais que se tornaram usuários de pornografia simplesmente pela mera tentativa de fiscalizar o que seus filhos estavam acessando na internet.
O primeiro contato de uma criança com a pornografia geralmente acontece logo aos 11 anos de idade. O avanço tecnológico  trouxe com ele meios de relacionamentos eletrônicos como MSN e também a  facilidade que qualquer criança encontra em acessar os sites do gênero.
Segundo estimativas, nos Estados Unidos, 10 milhões de crianças ficam on-line todos os dias e multiplicam mais e mais amigos eletrônicos para bater papo. Um estudo recente com aproximadamente 1500 crianças americanas com idades entre 10 a 17 anos, divulgou que uma em cada 4 crianças foi exposta indesejavelmente a algum tipo de imagem de pessoas nuas ou realizando atos sexuais. Uma em 33 recebeu um convite para práticas sexuais on-line, telefonar ou mesmo marcar um encontro.
Infelizmente a pornografia é dona de uma grande fatia da internet e tem ganhado cada vez mais espaço, trazendo um efeito negativo principalmente para jovens e adolescentes e muita preocupação para pais e educadores e felizmente também está chamando atenção de muitas igrejas.
Dentre muitos, o principal impacto da pornografia entre jovens e adolescentes é a iniciação sexual que acontece cada vez mais precocemente e da forma errada. O jornal A Folha de São Paulo publicou na edição de 05/09/2008 uma pesquisa que informa que usar a pílula do dia seguinte e fazer sexo com variação de parceiros são atitudes que fazem parte da vida de jovens de classe média com idade entre 13 e 16 anos. Os pesquisadores ouviram 6308 alunos de escolas particulares descobrindo que 22% deles já perderam a virgindade e 19% afirmaram que já tiveram sexo com pelo menos 5 parceiros diferentes, 14 % tiveram relações com pessoas que conheceram pela internet e em média 25% iniciaram a vida sexual aos 14 anos.
Os modelos transmitidos por filmes, seriados, novelas e até mesmo pela publicidade são de infidelidade, sexo fácil, sexo grupal e constante troca de parceiros. A criança ou adolescente, uma vez que recebe essa informação distorcida do sexo tem a tendência de associar tudo aos seus relacionamentos sociais, passando a buscar o sexo apenas por mero prazer ou diversão momentânea sem nenhum compromisso e sem demonstrar qualquer tipo de sentimento pelo parceiro.
 A pornografia é um assunto extenso que traz uma infinidade de temas que a igreja precisa conhecer, por isso traremos uma série de artigos semanais sobre ela que vale a pena você acompanhar.
Esta é uma série semanal de artigos sobre a pornografia.
Análise feita por: PrAdeneir Sousa de oliveira.
Fonte:
http://www.oleoprecioso.com/blog/?p=1

Os males causados pela pornografia

Os males causados pela pornografia


Ela apenas mudou de nome passando a se chamar de “conteúdo para adultos” para se tornar mais leve e aceitável, seu conteúdo, porém tem se tornado mais agressivo e pernicioso a cada dia. Ela tem como principais meios de difusão a internet, vídeos que podem ser comprados ou locados aos milhares e revistas que vão das mais rudes ás mais luxuosas e aceitas pela sociedade. Alguns até chegam a considerar a pornografia como uma arte expressada pelas formas do corpo. Apesar de muitos acharem o consumo de pornografia algo normal a ponto de muitos servos de Deus usar para dar uma “apimentada na relação”, buscando uma noite mais prazerosa, ela pode causar danos difíceis de serem curados entre os quais se tornar um vício é o principal.
O vício pela pornografia, como qualquer outro, atinge a moral, a espiritualidade e principalmente as relações familiares. Na área profissional hoje ela já é motivo de uma boa parte das demissões. Pelo fato de 96% das empresas brasileiras estarem informatizadas, elas passaram a conviver com empregados que não resistem esperar o momento de chegar em casa, ou que não tem acesso à internet em suas casas e acabam acessando conteúdo pornográfico através dos computadores das empresas de forma cada vez mais contínua, o que gera desgastes nas relações e acaba roubando a produtividade do envolvido tornando o dispensável.
 Na área familiar ela atua isolando o indivíduo dependente que passa cada vez mais tempo no computador ou vendo filmes. Donos de vídeos-locadora disseram ser comum um único individuo locar 10 filmes pornôs de aproximadamente 80 minutos para ver em um único fim de semana. Na internet a pessoa pode ficar até 18 horas pesquisando sites que lhe ofereçam drogas pornográficas cada vez mais fortes para alimentar seus instintos e satisfazer sua necessidade de masturbação. É comum pessoas passarem a utilizar o computador altas horas da madrugada, o que prejudica a saúde e o rendimento. É também comum a pessoa não permitir que outros se aproximem de seu computador ou desligar o mesmo se alguém se aproxima o que acaba gerando desconfiança e sensação de desrespeito por parte dos familiares.
O vício da pornografia afeta também a estabilidade financeira. Os empresários do grande e milionário mercado da pornografia agem como os traficantes de drogas, ou seja, os primeiros contatos são de graça, depois se o individuo quiser mais, terá que pagar por ela. Para suprir a sua necessidade de consumo ele passa a gastar com revistas, locação de diversos vídeos por mês e assinatura em sites especializados, o que acaba estourando rapidamente seu orçamento. Como a maioria das transações via Web ocorrem através de cartões de crédito muitos acabam endividados por conta do vício.
A pornografia, é um grande mal que entra secretamente nos lares, levando homens e mulheres a se entregarem a sensações momentâneas, vazias e repugnantes. Infelizmente ela ainda é a melhor forma de pessoas mentalmente doentes alimentarem suas parafilias. De todas as parafilias existentes, a pior  é a pedofilia que é uma atração forte e injustificável por crianças e adolescentes na puberdade. A pior parte da pedofilia não é propriamente a exposição da imagem infantil, mas a forma usada para gerar essas imagens. Os comportamentos sexuais envolvidos na pedofilia abrangem uma gama de atividades e pode inclusive  envolver o uso da força.  A exibição da vítima ocorre em vários graus de agressividade e quase sempre, além da nudez envolve carícias, indução da vítima a atos masturbatórios, sexo oral e até o intercurso genital completo. Em 50 % dos casos a pedofilia é praticada por pessoas casadas e que tem algum laço de sangue com a vítima.
Em resumo, A Gazeta do Povo publicou um importante artigo de João Malheiro, doutor em educação. Segue abaixo um trecho do artigo que achei muito importante como forma de alerta:
“Quando a pessoa em si, com toda a sua riqueza e individualidade vai se acostumando a olhar tudo e de tudo, com o tempo a razão vai adormecendo, a vontade enfraquecendo, pois os estímulos e impulsos sexuais acabam sendo satisfeitos sem regras e limites, e se tornam sempre mais primitivos, animalescos e profundamente dominadores. Aquilo que parecia ser a opção mais livre, mais autêntica, na realidade é justamente o contrário, uma forma de escravização. Nestas condições, é natural que se perca rapidamente a dimensão da imensa dignidade da pessoa humana e que só se consiga ver no outro, com a visão turva, um mero objeto de prazer e de satisfação egoísta”
Fonte
http://www.oleoprecioso.com/blog/?p=38

Os transtornos da pornografia na vida espiritual

Os transtornos da pornografia na vida espiritual

Milhares de lares em nosso planeta estão sendo invadidos pelo mal da pornografia sem que pais, mães e esposas saibam. Nestes, infelizmente os cristãos estão sendo contados. O homem, quando se trata de sua sexualidade é atraído pelo que vê, desta forma, mesmo sendo cristão, se não se manter em estado de constante vigilância, dificilmente consegue fugir de imagens que expõem formas femininas ou situações que sugerem idéia de sexo. Em contato com qualquer imagem, seus instintos sexuais logo vêm à tona de forma violenta, o levando à masturbação e a criar fantasias e até taras doentias.
 
A igreja tem que estar em constante oração e desenvolver estratégias para combater este terrível  mal. A internet tornou-se uma porta escancarada para que a pornografia, silenciosamente tome o lugar da Bíblia nos lares cristãos, promovendo uma destruição em massa que atinge jovens, líderes e maridos cristãos.
A exposição à pornografia tem efeitos rápidos para destruir a vida cristã. Nos primeiros contatos com ela o indivíduo já começa perder a motivação cristã movido pela culpa. Se não há uma confissão a pornografia logo se torna um vício que o leva a adormecer os sentidos espirituais. Seus desejos se tornam totalmente dominados pelo pecado e o desinteresse pelas coisas de Deus se torna iminente. Outro sintoma que afeta as relações com a igreja é o tempo gasto em busca de novos materiais de pornografia que faz com que a pessoa gaste o tempo que seria para Deus em frente ao computador ou outro recurso visual.
Em um dos casos que tratamos, um obreiro com seis anos de casado se dizia totalmente ligado à pornografia.  Seu afastamento da igreja foi quase imediato, porque segundo ele, no início de seu vício a melhor forma que encontrava para ter acesso a este material era enviando a esposa e a filha para igreja, assim ele poderia ficar sozinho em casa e alimentar seu vício. Hoje ele buscou ajuda espiritual e está recuperado, mas a única forma eficaz de tratamento que encontrou além da sinceridade com a igreja e com a esposa foi se livrar de computador, celular e DVD Player. (usaremos mais as experiências deste testemunho em artigo que tratará dos males da pornografia no matrimônio).
Em outro depoimento feito por um jovem que aconselhei, ele disse se sentir totalmente dominado por forças demoníacas todas as vezes que acessava conteúdo pornográfico. Afirmou ele que toda vez que ia orar para pedir libertação do vício, às imagens que acessava na internet iam passando de forma perturbadora em sua mente. Acrescentou também o jovem que era impossível fugir de situações em que surgia em sua frente imagens de sexo extremo, sadomasoquismo, grupal e sexo com animais e que poderia facilmente visualizar o demônio nas cenas que via e foi isto que o estimulou a buscar ajuda.
Em diálogo com vários homens da igreja, descobri que uma grande maioria deles sequer tem noção do real perigo e acha normal, ver algum tipo de filme pornô  ao lado da esposa para estimular o apetite sexual, o que nos leva a pensar que isto acontece em muitas igrejas.

O livro: “As querras secretas dos homens” de “Patrick Means” publicou uma estatística estarrecedora pelos números apresentados. A pesquisa foi feita de forma confidencial entre pastores evangélicos e lideres de várias igrejas. Dos que foram ouvidos 64% declararam que tem algum problema relacionado a algum vício sexual, incluindo pornografia pesada que geralmente conduz a outros tipos de atividades sexuais secretas. 25% disseram que cometeram adultério mesmo depois de casados e de ter se tornado cristão.

A pornografia transmite uma idéia de sexo fácil, sem limites e sem necessidade de compromisso, isso pode influenciar as pessoas a se liberarem para o envolvimento com outras pessoas, mesmo dentro da igreja, onde o número de adultérios é crescente. Em um estudo levantado de forma formal em um ministério que contém mais de duzentas congregações com média de 100 membros, descobrimos que o número de adultérios em cada uma delas chegou a 5%.
Pela preocupação que Deus colocou em nosso coração com relação à pornografia desenvolvemos um programa para tratamento da pornografia na igreja que tem trazido excelentes resultados. No último artigo divulgaremos e método para que os líderes possam detectar e tratar os males da pornografia na igreja
Fonte
http://www.oleoprecioso.com/blog/?p=58

Quem faz a pornografia?



A pornografia, pela boa aceitação que tem, não é mais algo de pouca qualidade que traz filmes mal feitos ou publicações pobres. Trata-se de um setor que tem se profissionalizado. Em minhas pesquisas sobre o tema encontrei diversos anúncios, feitos aqui mesmo no Brasil procurando pessoas para atuarem no ramo pornográfico oferecendo inclusive “fama” para candidatos maiores de 18 anos que “gostem de sexo”
Acompanhei também a entrevista feita com o jornalista de uma produtora internacional que atua no Brasil. Esta empresa comercializa mais de 30 mil DVDs por mês e quarenta mil exemplares de revistas pornôs só em nosso país. Segundo ele, a maioria das mulheres contratadas já trabalham como acompanhantes e as seleções são feitas através de fotos nuas e o que mais ajuda o candidato ou a candidata é o desempenho sexual. Os atores recebem por cena, “Quanto mais cenas fazem, mas eles ganham” disse ele. O cachê por cena oscila de R$ 1,000,00 a R$ 3,000,00 para as mulheres e de R$ 500,00 a R$ 1,000,00 para os homens. Ele afirmou ainda que as produções no Brasil e no exterior são todas feitas sem o uso do preservativo, por via de regra, o mercado não absorve pornografia com preservativo.
No final de 2010, o ator Derrick Burts de apenas 24 anos, que trabalhava em filmes gays e heterossexuais, confirmou que tinha contraído o vírus HIV. A notícia interrompeu a produção de filmes, fechou a clínica responsável por testar os profissionais e trouxe de volta a discussão das camisinhas que há tempos é uma batalha travada entre entidades e a indústria pornográfica.
O mesmo aconteceu em 2009 com outro ator, mas o surto maior surgiu em 2004, quando cinco atores contraíram o vírus após rodarem cenas com o ator Darren James, que, por sua vez, pegou a doença provavelmente em filmagens de uma empresa americana no Rio.
Doenças sexualmente transmissíveis são diagnosticadas em um quarto dos atores a cada ano, de acordo com a Saúde Pública do Condado de Los Angeles. O número de casos de doenças venéreas como gonorréia, sífilis e infecções é sete vezes maior entre os que atuam no mundo pornô do que no resto da população.
Jennifer Case, ex-atriz que se converteu e deixou a industria do sexo a três anos atrás, afirmou em entrevista para o “The Porn Effect” (O efeito pornô) que ficou traumatizada, oprimida e sentindo se abusada, e, como precisava das drogas para suportar o tipo de trabalho que fazia, precisava também da pornografia para sustentar o vício das drogas.
“Atraz da imagem de pornografia que você está vendo há uma pessoa e você está destruindo a vida dela e dos filhos dela”. Afirmou.
A atriz diz que a pornografia é “maligna” e “é uma droga, veneno e mentira” e conclui a entrevista fazendo um apelo: “Em toda pornografia existe a filha de alguém. E se fosse a sua filhinha? Você pode realmente estar ajudando na morte de alguém! Atores e atrizes pornôs morrem o tempo todo de AIDS, overdoses de drogas, suicídios, etc. Por favor, parem de olhar pornografia”.
Neste ingrato meio, muitas são chamadas de estrelas pornôs, mas em realidade nunca desfrutam deste estrelato. A maioria tem vergonha de declarar a profissão e quando declaram sofrem os mais terríveis preconceitos. O estrelato na verdade não existe porque os consumidores de pornografia em sua maioria são pessoas doentes que pouco estão interessadas na pessoa ou no trabalho que ela realiza. O que querem é ver imagens de corpos nus em cenas de sexo explícito onde as mulheres muitas vezes aceitam ser subjugadas e tratadas como lixo nas imagens e cenas em que aparecem.
Somente nos Estados Unidos, existem mais de 100 mil sites que oferecem pornografia infantil, 20.000 novas imagens de crianças são postadas todas as semanas e cerca de 20% de toda pornografia na internet envolve crianças que são enganadas, envolvidas e abusadas e infelizmente muitas vezes com o consentimento dos parentes próximos que deveriam protegê-las.
Os empresários que produzem a pornografia são pessoas insaciáveis e gananciosas que investem cada vez mais pesado para que a pornografia invada os lares das famílias sem se preocupar com os males que ela possa causar. As estatísticas e estimativas a respeito do mundo da pornografia chegam causar pavor e a igreja tem a obrigação de tomar conhecimento delas
Fonte
http://www.oleoprecioso.com/blog/?p=93